A GAZETA DE ALGOL

"O morto do necrotério Guaron ressuscitou! Que medo!"

Ferramentas do usuário

Ferramentas do site


fanworks:fanfictions:gazeta_de_algol:fic-gazeta_de_algol_001

A Gazeta de Algol

Autor: Kal Banga

Episodio 1: Cartas e Caloteiros

Diário Estelar AW1298

Para: Orakio Rob

Endereço: Rua Aero-Prisma, numero 321

Amigo Orakio Rob, Saudações Algolianas!

Peço desculpas por utilizar esse tipo de mensagem, mas não sou muito bom em tecnologias modernas e prefiro o bom e velho papel. As informações que tenho são de extrema importância, e somente você tem o poder para espalhá-las em Motávia.

Soube do jornal que está publicando em Motávia, a Gazeta de Algol. Este é a ultima via de informação livre desde que o MotherBrain foi desativada. Graças a você e sua corajosa equipe, a informação está sendo levada até mesmo a cidades isoladas como Uzo. Mande lembranças ao Yoz por mim, não esqueci das 670 mesetas que ele está me devendo.

Vamos às informações: existe um força negra que vem causando destruição nos planetas de Algol, chamada de Dark Force. Em AW 342 eu e alguns companheiros derrotamos este maligno ser. Mas eu descobri que ele não era o único e que o portal por onde ele veio não pode ser fechado. Então, desde essa época, eu e meus Espers temos vigiado o portal. Infelizmente não irei dar detalhes sobre como eu consegui sobreviver por tanto tempo, pois não é relevante. Continuemos:

Daqui a mil anos, o portal irá se abrir novamente, e Dark Force irá aparecer mais forte ainda. Suspeito que uma outra força, ainda mais forte, venha dessa vez, mas não tenho certeza. Espalhe está noticia, meu amigo, pois todos devem saber do destino que nos espera.

Infelizmente eu irei partir deste mundo em breve. Vencemos os terríveis terráqueos, mas eles me deram um presente ingrato. A doença conhecida por eles por pneumonia. Não existe cura em Algol para ela e estou me tratando como posso. Logo ela irá me levar para junto de meus antigos companheiros. Por isso confio em ti e em tua equipe para espalhar está noticia, para que outras pessoas possam de alguma forma se juntar a nós nessa luta. Gostaria de vê-lo mais uma vez, mas isso não será possível… Contudo, desejo-te toda a sorte do universo.

Do seu eterno amigo

Lutz Ka Uriik

PS: Se por acaso alguém de cabelo azul aparecer em sua redação, trate-o bem. Essa pessoa estará ligado a mim de alguma maneira. Na verdade, trate-o como se fosse eu.

PS2: Não existem muitas pessoas de cabelo azul em Algol. Pintar o cabelo é coisa de terráqueo, somente a minha linhagem possui cabelo desta cor.


Yoz: E agora, Orakio? Ninguém vai acreditar nesta história! Vão achar que a gente bebeu ou que estamos cheirando ervas de gato almiscarado!

Orakio Rob: E daí? É nossa missão como jornalistas levar a verdade para o povo de Algol! Estou terminando meu artigo sobre as worms de Motávia e vou pôr esta carta na primeira pagina!

Dark Landale: Hm… Será que eu sou um descendente dos Landale, a linhagem de heróis que cruzou as gerações? Nossa, isso é muita responsabilidade! Mas por que minha mãe pôs Dark no meu primeiro nome? Será que vou me voltar para as trevas? Argh!!!

Orakio Rob: De qualquer forma o jornal vai sair amanhã! Organizem logo os artigos que eu vou editar a revista Gagá Games!

Ali era a Redação da Gazeta de Algol, o maior (e único) jornal de Motávia. Seus membros eram muitos, e todos com muita coragem (ou insanidade) nas veias.

Yoz: Ei, imagina só se alguém invade a nossa redação justamente por causa dessa carta do Senhor Lutz, hein? Ia ser bem como aquelas histórias de ficção!

(Barulho de porta sendo arrombada)

Dark Landale: Bocão!

Continua…

fanworks/fanfictions/gazeta_de_algol/fic-gazeta_de_algol_001.txt · Última modificação: 2009/01/13 11:58 (edição externa)